CONHEÇA MEU BLOG PAPO DE PROFESSOR...TE ESPERO LÁ!!!!
http:papodeprofessor.blogspot.com

Também estamos no Face book : "professores mediadores conectados" e " papo de professor"

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Pisa usou exercícios ligados as habilidades não cognitivas e o Brasil ficou em 38º lugar

Achei este artigo interessante...fica a dica para os professores mediadores incluirem em seus projetos as habilidades  não cognitivas.

Pisa testa habilidades não cognitivas e Brasil fica em 38º lugar

É impressionante o problema da educação brasileira,estamos ficando nos últimos lugares em todas avaliações internacionais e nossos governantes ainda "fazem cara de paisagem" quando questionados sobre o assunto. 
O  Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) avalia o desempenho de estudantes em matemática, ciências e leitura,sendo  reconhecido mundialmente como um dos termômetros da qualidade de ensino de cada país. Os resultados da prova que é aplicada a cada 3 anos  são desastrosos,somente 2% dos alunos brasileiros conseguiram resolver problemas de matemática mais complexos.
Na última avaliação a Pisa testou  pela primeira vez exercícios ligados as habilidades não cognitivas,ou seja habilidades para resolver problemas concretos como autonomia, raciocínio crítico, liderança, facilidade de relacionamento , tolerância e outras que deveriam fazer parte do cotidiano de nossas escolas e mais uma vez o Brasil simplesmente se mostrou reprovado.
Após a divulgação do péssimo  resultado do Brasil também no quesito "competências socioemocionais " o MEC divulgou projetos existentes  e intenções de parcerias.O ministro Paim alega ser um  tema novo não só no Brasil e que  "precisa ser estimulada em vários aspectos, seja na pesquisa, para formar massa crítica, seja no aspecto que envolve avaliação e implantação de políticas" .
Será que nossos governantes nunca ouviram falar de Paulo Freire e da necessidade de se formar sujeitos ??? Isso é um absurdo!!!!
 


Educação: Brasil fica entre últimos em pesquisa de teste de raciocínio
1 de abril de 2014 

Nesta terça-feira (1º), a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou o resultado do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), que pela primeira vez avaliou a capacidade de 85 mil estudantes de 15 anos do mundo inteiro para resolver problemas de matemática aplicados à vida real.
O Brasil ficou em 38° lugar, com 428 pontos, em um total de 44 países.
O resultado da pesquisa mostrou ainda que só 2% dos alunos brasileiros conseguiram resolver problemas de matemática mais complexos.
Entre os estrangeiros, esse número chegou a 11%.No caso do Brasil,os meninos tiveram desempenho melhor que as meninas.No teste ,os rapazes somaram 436 pontos, contra 412 das garotas.
No desempenho por região do país, os alunos do Sudeste fizeram 447 pontos, seguido por Centro-Oeste (441), Sul (435), Nordeste (393) e Norte (383).
Os líderes do ranking do Pisa são todos asiáticos: Cingapura (562 pontos), Coreia do Sul (561) e Japão (552). Entre os três últimos da lista, estão dois latinos: Uruguai e Colômbia, além da Bulgária.
O único país da América do Sul que aparece mais bem colocado que o Brasil é o Chile, na 36ª posição, com 448 pontos.
Para chegar a esse resultado, a avaliação incluiu perguntas em que o aluno tinha de, hipoteticamente, manusear um aparelho de MP3 player e, ainda, comprar bilhetes em uma estação de trem em uma máquina.
Em uma das perguntas, por exemplo, o estudante devia selecionar no MP3 o estilo rock, no volume 4, usando poucos cliques e sem nenhum botão “reset” (reiniciar).
As habilidades não cognitivas – ligadas a características como autonomia, raciocínio crítico, liderança, facilidade de relacionamento e tolerância, entre outras – foram testadas pela primeira vez no Pisa, que é um exame reconhecido mundialmente por avaliar o desempenho de estudantes em matemática, ciências e leitura. 
A prova é aplicada a cada três anos em alunos que concluem o ciclo básico de ensino.
O último resultado do exame foi divulgado em dezembro. Nas três disciplinas, o Brasil teve desempenho baixo entre os países da OCDE. Em matemática, ficou em 58° lugar (foram 65 nações analisadas); em leitura, alcançou a 55ª posição; e em ciências, a 59ª.
Ensino Médio Inovador

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Francisco Soares, disse em entrevista ao Bom Dia Brasil que o governo quer investir na qualidade do ensino e aumentar a participação de escolas em um programa criado em 2009 para promover a melhoria no currículo e ampliar a carga horária.

“Há um programa que é o Ensino Médio Inovador, no qual essa questão de ser capaz de resolver os problemas concretos que a vida coloca está no centro do projeto pedagógico”, diz Soares.
Na semana passada, o Ministério da Educação (MEC) anunciou a criação, em parceria com o Instituto Ayrton Senna, de cursos de pós-graduação no Brasil e no exterior para formar pesquisadores e professores que estudem os impactos das competências socioemocionais (como otimismo, responsabilidade, determinação e curiosidade) no aprendizado dos alunos.
Os detalhes das bolsas, como o número de vagas oferecido, os valores, o tempo de permanência e o perfil de quem poderá se beneficiar será definido em um edital da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (Capes), a ser publicado em até 90 dias.
O ministro da Educação, José Henrique Paim, afirmou que os estados e municípios que promoverem iniciativas para valorizar as competências socioemocionais dos estudantes poderão recorrer a financiamentos do governo federal.
“É um tema novo não só no Brasil. Essa temática precisa ser estimulada em vários aspectos, seja na pesquisa, para formar massa crítica, seja no aspecto que envolve avaliação e implantação de políticas. Queremos também incentivar iniciativas que alguns estados têm. Aquilo que o ministério achar condizente, vamos financiar”, destacou Paim.
Veja abaixo o ranking completo do Pisa:
1º) Cingapura – 562 pontos

2º) Coreia do Sul – 561
3º) Japão – 552
4º) China/Macau – 540
5º) China/Hong Kong – 540
6º) China/Xangai – 536
7º) China/Taipé – 534
8º) Canadá – 526
9º) Austrália – 523
10º) Finlândia – 523
11º) Reino Unido – 517
12º) Estônia – 515
13º) França – 511
14º) Holanda – 511
15º) Itália – 510
16º) República Tcheca – 509
17º) Alemanha – 509
18º) Estados Unidos – 508
19º) Bélgica – 508
20º) Áustria – 506
21º) Noruega – 503
22º) Irlanda – 498
23º) Dinamarca – 497
24º) Portugal – 494
25º) Suécia – 491
26º) Rússia – 489
27º) Eslováquia – 483
28º) Polônia – 481
29º) Espanha – 477
30º) Eslovênia – 476
31º) Sérvia – 473
32º) Croácia – 466
33º) Hungria – 459
34º) Turquia – 454
35º) Israel – 454
36º) Chile – 448
37º) Chipre – 445
38º) Brasil – 428
39º) Malásia – 422
40º) Emirados Árabes – 411
41º) Montenegro – 407
42º) Uruguai – 403
43º) Bulgária – 402
44º) Colômbia – 399

Informações G1.

PAPO DE PROFESSOR: A DITADURA E OS PROFESSORES BRASILEIROS

PAPO DE PROFESSOR: A DITADURA E OS PROFESSORES BRASILEIROS: Navegando pela “net” encontrei um material muito interessante sobre o Período de ditadura no país e estou compartilhando  neste nosso espaç...

sexta-feira, 28 de março de 2014

O governo vai mudar o cálculo da bonificação!


Importante : Embora a SEE não tenha confirmado,segundo  fontes do  Jornal Estadão as regras do cálculo de bonificação foram mudadas.Foi confirmado pelo jornal que as informações foram colocadas no  link do Idesp, conforme anunciamos aqui e que foram retiradas do ar em seguida. Pesquisadora da Usp confirma o que já sabíamos faz muitiiiito tempo... que " Não há no mundo nada que indique que bônus melhore resultados educacionais" e vai além ..."Em uma carreira como a da Educação, em que a motivação vai além do salário, é quase ofensivo".
Leia o artigo:


Adicionar legenda

SP não tem data para pagar bônus dos servidores

De São Paulo
27/03/201409h42
O Estado de São Paulo ainda não anunciou quando vai pagar o bônus dos servidores da rede, calculado a partir do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo). O pagamento varia de acordo com o avanço de cada escola.
Apesar de ter estagnado nos últimos anos do fundamental e ter tido queda no médio - etapas em que está a maior parte das escolas -, não é possível aferir que o volume de pagamentos vai diminuir. Isso porque, conforme o jornal O Estado de S. Paulo apurou, o governo vai mudar o cálculo da bonificação, e o nível socioeconômico das escolas será levado em conta, além do Idesp.
A oficialização da mudança não foi confirmada pela secretaria, mas a informação está em boletins do Idesp das escolas que entraram no site da secretaria e depois foram retirados do ar.
Como as condições socioeconômicas são preponderantes no resultado escolar, educadores se queixam do fato de esse indicador não ser levado em conta na comparação das escolas e no pagamento de bonificação.
Segundo a legislação, o governo precisa pagar o bônus ainda neste mês. Questionada desde o início da semana, porém, a Secretaria de Educação não confirma a data do pagamento e da divulgação oficial dos dados do Idesp e do Saresp (com notas de Matemática e Português). Nas redes sociais, professores da rede reclamam da falta de informações.
A pesquisadora da USP Paula Louzano afirma que, embora seja positivo levar em conta o nível socioeconômico, a política de bonificação não é boa. "Não há no mundo nada que indique que bônus melhore resultados educacionais. Parte do pressuposto de que os professores sabem o que fazem, poderiam fazer mais, mas não fazem porque esperam alguém pagar mais", diz. "Em uma carreira como a da Educação, em que a motivação vai além do salário, é quase ofensivo."
O bônus foi adotado pelo governo de São Paulo a partir de 2009, no governo José Serra (PSDB). No ano passado, o Estado pagou R$ 590 milhões aos servidores da Educação. Como o Idesp global da rede havia recuado também em 2012, a proporção de escolas que receberam o benefício havia tido queda. O bônus foi pago no ano passado a 205.869 servidores, número similar à quantidade de servidores do ano anterior.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo a SEE, o bônus será depositado na segunda-feira.

Segundo a SEE, o bônus será depositado na segunda-feira.





Pelas regras do programa, os servidores das escolas que atingem a meta recebem um bônus de 2,4 salários. Se superada a meta, o limite é de 2,9 salários.
Se a meta não foi atingida, o governo calcula o avanço da escola. Se a unidade avançou, por exemplo, 50% da meta, o bônus é de 1,2 salário. 
O pagamento também leva em conta a frequência, descontando proporcionalmente as faltas de quem trabalhou menos de 244 dias no ano.

Segundo a secretaria, o bônus será depositado na segunda-feira e representará um desembolso de R$ 700 milhões para a pasta.
Do total de funcionários com o adicional, 152,2 mil (ou 59,58%) receberão até R$ 2,5 mil, enquanto 48,5 mil (19%) terão direito a valores superiores a R$ 5 mil . “Nada mais justo do que reconhecer o trabalho dos profissionais de educação não só por meio de uma política inédita de valorização salarial, mas também com a bonificação por desempenho.
Os resultados estão mostrando avanços importantes”, disse o governador Geraldo Alckmin (PSDB).
Fonte:  http://www.redebomdia.com.br/noticia/detalhe/66167/SP+pagara+bonus+de+2,9+salarios+a+professor 

28/03/2014

Bônus da Educação será pago nesta segunda

Thiago Santos
do Agora
O Bônus da Educação será pago para os servidores da rede estadual nesta segunda-feira.
Ao todo, serão depositados R$ 700 milhões para 255 mil funcionários.
No ano passado, o total depositado em bônus atingiu R$ 590,2 milhões, e 206 mil servidores da Educação foram beneficiados.
A secretaria não comentou o motivo do aumento no valor do bônus, que depende do resultado do Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo).
O bônus só é pago se a escola melhorou de um ano para outro.
O valor depende de quanto ela se aproximou da meta estabelecida para cada ciclo de ensino de cada escola estadual.
fonte: http://www.agora.uol.com.br/trabalho/2014/03/1432168-bonus-da-educacao-sera-pago-nesta-segunda.shtml

quinta-feira, 27 de março de 2014

Tecnologia, educação e solidão

Navegando na "net" encontrei este texto,recomendo pois é sensacional .



Há muito tempo não utilizava o metrô como meio de transporte, o que é um erro, admito, pois, nos países mais desenvolvidos, é uma das formas principais de se locomover. Como no Brasil tudo acontece de forma limitada, nem todas as grandes cidades brasileiras têm estações de metrô suficientes. Mas vamos ao trajeto: em geral, o que mais me fascina quando entro em uma estação de metrô (ou mesmo aeroporto) são as pessoas. Menos no metrô de Moscou, onde fico me dividindo entre observar o comportamento dos usuários e as obras de arte de cada estação. Em São Paulo, no mais das vezes, me resta apenas a primeira opção.

Tanto nos aeroportos quanto nas estações de metrô, em qualquer lugar do mundo, um comportamento é padrão: a compulsão por observar se há novas mensagens no celular. Claro, porque, com as novas tecnologias basta termos um celular repleto de recursos que não estamos mais sozinhos. Podemos estar conectados a todo instante. Do ponto de vista social não acredito que isso traga algum benefício, muito pelo contrário. Muitas vezes relacionamentos são destruídos em razão da má interpretação dos aplicativos; soube, por exemplo, que um aluno meu rompeu seu namoro porque entendia ele que a namorada tinha visto sua mensagem no “WhatsApp”, e, na verdade, ela nem tinha ligado seu celular. Resumindo: a discussão entre os dois numa questão de entendimento do programa, tendo como conciliador o “Google”.

No aeroporto então, nem se fale, quase todos com seu olhar fixo no celular, se comunicando e exaltando o comportamento solitário, rechaçando assim uma boa conversa com as pessoas, mesmo porque todas elas estão, de certa forma, absorvidas no mesmo comportamento. A pergunta é: onde vamos parar?

Foi pensando nessa problemática que, neste mês, na cidade de Barcelona, na Espanha, surgiu o “Foro Global de Docentes Inovadores”, com mais de 1100 pessoas de 97 países, entre docentes, diretores de escolas especialistas e outros. Essas pessoas se reuniram semana neste Congresso Internacional sobre tecnologia e educação, que destaca o desenvolvimento de trabalhos de docentes focando a criatividade, na tentativa de introduzir com êxito as ferramentas digitais nas salas de aula.

Na verdade, temos de educar os jovens para que a compulsão pelo uso da ferramenta digital seja revertida em educação prazerosa – não apenas observação do componente dispersante que a tecnologia acaba promovendo. Tudo mudou com a nova era dos celulares ou “smartphones” e agora é a hora de nos prepararmos para levar Às escolas uma nova visão do uso dessas ferramentas, construindo um comportamento saudável e, acima de tudo, demonstrando os limites entre a solidão da conexão e a alegria da amizade e do contato pessoal, que nos fazem pessoas mais felizes, mais reflexivas, mais... humanos, enfim. Para finalizar esta reflexão – e talvez desdizer tudo aquilo que foi dito e lançar ao leitor uma provocação, se gostar desse texto, pode compartilhar a ideia no Facebook (rsrsrs...).



*FERNANDO RIZZOLO é advogado, jornalista, mestre em Direitos Fundamentais e ex-articulista colaborador da Agência Estado

rizzolot@gmail.com/www.blogdorizzolo.com.br 

fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=448694

quarta-feira, 26 de março de 2014

Bônus:professores à beira de um ataque de nervos.





Nos último anos o mês de março é motivo de grande stress ,deixando os professores à beira de um ataque de nervos. 








O Bônus é uma das principais  causas de stress entre profissionais da educação.



Desde sua instituição o bônus não trouxe nenhum benefício para a educação paulista, nem para o professor e muito menos para o aluno, isso porque tem o incrível poder de condenar escolas ,profissionais da educação e alunos  ao fracasso  e consequentemente ao abandono e isso leva todos os envolvidos a um profundo desânimo.




As promessas de mudanças não aconteceram... o bônus continua sem transparência de critérios  apesar de  existir  muitas resoluções e decretos que deveriam regulamentar o processo de bonificação por resultados,  na prática a coisa continua muito confusa .
É revoltante ler os jornais ou assistir os telejornais neste período, pois até parece que os professores reclamam de barriga cheia. A comunidade não entende essa “bagunça” de atingir metas,é confundida pela mídia  do governo e acredita que neste período todos professores recebem uma fortuna . As escolas que não atingem o índice são condenadas e os professores culpados pelo fracasso ,
isso só aumenta ainda mais o abismo entre a família  e a escola.
Os professores ficam cada vez mais  desmotivados e muitos terminam abandonando a carreira.
Quem quer participar ou trabalhar  em uma escola que é  caracterizada  como “fracassada”?
A divulgação do IDESP é uma novela estilo dramalhão mexicano ,os  professores ficam a desesperados para saber se ganharam ou não na “loteria do bônus” e a ansiedade fica ainda maior com a situação do link que entra e sai do ar,parece que fazem isso de propósito só para  confundir ainda mais a categoria.
Enquanto professores estão se  digladiando nas escolas e nos comentários das postagens deste blog a SEE  está sempre procurando uma "brechinha" para manipular a interpretação dos resultados e divulgar somente “melhoras” nos resultados do Saresp.

Cadê as mudanças no bônus que forma anunciadas ?


A confusão sobre os critérios do bônus é  tanta que relacionei aqui a legislação pertinente sobre o assunto ,pois é muito difícil entender esse  verdadeiro “samba do crioulo doido” :  Lei Complementar Nº 1.078/2008 Institui Bonificação por Resultados,
Decreto N° 54.174/2009 Bonificação  a servidores afastados com fundamento na Lei Complementar N° 343/1984, e para o Programa de Ação de Parceria Educacional Estado-Município Resolução Conjunta CC/SF/SEP/SGP Nº 01/2009
definição dos indicadores globais da SEE e seus critérios de apuração e avaliação, Resolução SE Nº 22/2009 definição dos indicadores específicos da SEE, para fins de pagamento da Bonificação por Resultados , Resolução SE Nº 23/2009
Estabelece normas relativas à Bonificação por Resultados, Resolução Conjunta CC/SF/SEP/SGP Nº 01/2009  definição dos indicadores globais da SEE seus critérios de apuração e avaliação, Resolução SE Nº 25/2009  o valor de índice de cumprimento de metas, seus critérios de apuração e avaliação, Resolução SE Nº 26/2009  fixação das metas para os indicadores específicos das unidades escolares da SEE, para fins de pagamento da Bonificação por Resultados/2009, Decreto Nº 55.545/2010  fixação de percentual para fins de pagamento da Bonificação por Resultados / 2009, Resolução SE Nº 20/2011 Estabelece normas relativas à Bonificação por Resultados.
  
Diante de tudo isso fica aqui algumas  perguntas :
Será que o bônus deveria ser algo assim tão importante para os profissionais da educação? 
Por que nos acostumamos com as migalhas da SEE  e não lutamos por um salário justo? Condições dignas de trabalho? Um plano de carreira que defina que tipo de meritocracia queremos? 

O que queremos  é dignidade ou esse tipo de recompensa injusta ? 
O que estão fazendo com a nossa categoria profissional?

Até quando vamos nos iludir com este engodo da SEE 

LINK DO IDESP CAUSA CONFUSÃO E REVOLTA




A categoria esta muito ansiosa e tudo é motivo para stress e dúvidas.
O que posso afirmar é que o link do Idesp abriu no final da tarde da sexta feira (21/03) e no sábado pela manhã (22/03),algumas pessoas esperaram pacientemente o link abrir para ver o resultado de sua escola.
No sábado pela tarde o Link estava congestionado e no domingo foi retirada a opção de IDESP 2013.
O link  congestionou devido muitos acessos para consultar o IDESP. Com certeza voltará nesta semana.Muitas escolas na região do ABC conseguiram acessar nos dia citados acima.


O link para acessar os resultados do Idesp fica sobrecarregado neste período devido muitos acessos diariamente,mas como muitos pediram  o endereço para visualizar direto está abaixo,não esqueça que após o sinal de igual ( = )deve ser colocado o CIE de sua escola. 

http://idesp.edunet.sp.gov.br/IdespReports/ReportIdesp?CIE=número da sua escola